[wp_show_posts id="376"]

#MuletasMorais #CaminharSozinho #recomeçar #IrEmFrente #ViverApesarDe

A pequena grande transgressão das sandálias vermelhas

Visitei o site umas 12 vezes. E a sandália lá, me provocando. Vermelha, ocupando toda a tela. Não era qualquer vermelho. Era um vermelho daqueles que se enxerga a dois quilômetros de distância e faz você virar ponto de referência: “aquela da sandália vermelha”. Uma papete meio espalhafatosa, com cara de verão, a um preço nada exorbitante. E tinha meu número – uma raridade quando se calça 34. Haviam também as outras cores ditas mais versáteis: nude, branco, amarelo e até a pretinha básica “vai com tudo”. Fiquei ali, naquela luta moral com o mouse em punho: colocava a amarela na sacola virtual do site, tentando me convencer de que ela tinha um pingo de ousadia e ia ficar linda com alguns dos meus vestidos. Mas, na hora de fechar o pedido, voltava a olhar a vermelha. E trocava. Conferia mentalmente a paleta de cores no meu armário e concluía, sem muita convicção, que a vermelhinha não daria certo com nada. E optava de novo por alguma cor daquelas que as pessoas esperavam ver nos meus pés. Porém, ainda que imbuída de toda esta racionalidade, não conseguia concluir a compra. “Pega a amarela. A vermelha é muito vermelha. Você não ... Leia Mais

Carta aberta ao ex: aquela que muitos gostariam de um dia escrever

Querido ex qualquer coisa – namorado, marido ou amante –, como vai? O tempo passou, descruzamos de vez nossos caminhos e o que lá atrás parecia impossível aconteceu: não é que a vida se transformou em um lugar melhor e hoje você não passa de uma vaga lembrança? Claro, não foi de uma hora para outra: no começo, sair da cama todas as manhãs foi uma dificuldade. “Para que mesmo?”, me perguntava. Os dias se arrastavam nublados, mesmo com o sol a pino do lado de fora. E o “lado de fora” era o que menos importava. Vivi aquele momento de egoísmo: minha dor doía como a maior do mundo. É uma fase de se afogar em lágrimas e de conseguir a proeza de sentir ódio e saudade no mesmo minuto. Num domingo que durou umas duas semanas, em um ato simbólico, recolhi todos os objetos que te representavam – de ursinhos de pelúcia aos chinelos esquecidos no banheiro –, enfiei tudo numa caixa e levei para o lixo do prédio. Mas, como é uma fase bipolar, o arrependimento já estava comigo na volta, no elevador. Apertei de novo o segundo subsolo e retornei agarrada na caixa resgatada, imaginando o ... Leia Mais

Diferença entre teimosia e determinação

Quando focamos em um só objetivo, corremos o risco de não enxergar outras possibilidades. Porque, algumas vezes, o que é enaltecido como “meta de vida” pode ser apenas um jeitinho glamouroso de não fazer nenhum movimento e esperar que caminhos se abram milagrosamente, enquanto outros, bem mais acessíveis e que também cabem no seu sonho, estão ali, ao alcance. Quantas vezes não sofremos pelo impossível? Entramos no ciclo do “eu quero porque quero”, sem notar que tem coisa melhor ali, na sala de espera da nossa convicção, aguardando um olhar mais atento. E isso acontece com carreira, amor e por aí a fora: seu objetivo é fazer medicina, mas sua realidade não permite essa dedicação integral? Resultado: lamenta e desiste de todas as faculdades. Adoraria morar na praia, mas seu trabalho está a 100 quilômetros de distância do mar? Então abandona a ideia da casa própria. Seu grande amor não compartilha da convicção de que serão felizes para sempre e, por isso, você opta por não olhar mais ninguém. Pois é. Tudo vai contra, mas você insiste, acreditando que existe uma conspiração interplanetária para te tirar do foco e jura que vai ser mais forte, dá uma banana para o ... Leia Mais

A única batalha que já começa perdida: a luta por amor

Lutar por amor. Não consigo imaginar combate mais sem sentido. Quando escuto alguém dizendo, com a voz cheia de orgulho, que vai lutar para o casamento dar certo ou que está investindo naquela que é a grande paixão, meu único pensamento é: que desperdício de tempo, de esforço e, principalmente, de autoestima. O mais engraçado é que a pessoa realmente acha que está fazendo algo nobre, mas, na verdade, está se negando a entender que essa é uma batalha perdida antes de começar e por uma só razão: para quê serve esta peleja? Está lutando para convencer um ser humano livre de que ele deve ficar enlaçado a você porque este é o “seu” desejo? Está guerreando para provar que é imprescindível na vida de quem simplesmente não sente da mesma forma? Sabe qual é a impressão? Que existe uma intenção de vestir a ideia fixa com o uniforme solene da determinação, atribuindo uma conotação épica ao fato: “visto uma armadura reluzente e, como um guerreiro medieval, vou a campo e arrebato meu grande amor”. Ah, para, né? Desse jeito o objeto amado não é conquista. Na melhor das hipóteses, é prisioneiro de guerra. Lutar por amor não é mandar ... Leia Mais

Termine uma história de amor para começar outra, mas nunca deixe de ser o protagonista

“Você fugiria comigo hoje?”, perguntou o amante afoito e inconsequente, mais pela frase de efeito do que pela proposta arrebatadora nela contida. “Não”, respondeu a heroína, menos preocupada em dar corda à aventura romântica, digna de sessão da tarde, e mais focada em edificar sonhos. “Antes de ir, tenho que fechar a casa e fazer malas definitivas. Me certificar de não deixar torneiras abertas e janelas sem trinco. Varrer toda a poeira que levei para dentro com meus próprios pés. Regar as plantas, contando que outro jardineiro não demore a encontrá-las. Cobrir móveis, recolher as lembranças que vão me servir e deixar as que já não são mais úteis. E só assim estarei saindo completa e não chegarei aos pedaços na próxima história.” Viver um novo amor requer ter acompanhado toda a novela anterior, com os bons e os maus capítulos, sem pular nenhum. Sair pela porta dos fundos de uma relação vai te obrigar a ingressar na outra igualmente pela entrada de serviço e um amor que se propõe ser verdadeiro merece chegar com tapete vermelho e não pela cozinha. Caso contrário é como tentar trocar o pneu com o carro em movimento ou atravessar a rua sem olhar ... Leia Mais