[wp_show_posts id="376"]

#AmorQueAcaba

Todo mundo tem alguém que foi embora

Todo mundo tem alguém que foi embora e que, apesar de ter ido embora, nunca se transformou em ausência. Alguém que, mesmo não estando, dorme e acorda com a gente todos os dias. Toma um lado da cama, a cadeira no posto de trabalho ou viaja junto nas férias. Está na música que se ouve e protagoniza todos os filmes assistidos. Com quem se conversa o tempo todo, ciente de que a resposta não virá. Alguém que foi e não deixou só a saudade. Quando alguém assim retira-se, descobrimos o tamanho do espaço que o vazio pode ocupar. Um espaço tão grande que sobra pouco para acomodar qualquer coisa, principalmente as novas.  Porque vazio é solo seco onde nada prospera e não conseguimos plantar nem a esperança. O vazio de quem não está é tão robusto que é quase uma presença, mas uma presença triste e calada, que deixa sorrisos escassos e olhos apagados. Todo mundo tem alguém que deixou sonhos ou a pasta de dentes pela metade. Uma roupa pendurada no armário, um perfume dentro da gaveta ou um livro com a página marcada. Alguém que jurou que nunca iria a parte alguma e que partiu o juramento e ... Leia Mais

Carta aberta ao ex: aquela que muitos gostariam de um dia escrever

Querido ex qualquer coisa – namorado, marido ou amante –, como vai? O tempo passou, descruzamos de vez nossos caminhos e o que lá atrás parecia impossível aconteceu: não é que a vida se transformou em um lugar melhor e hoje você não passa de uma vaga lembrança? Claro, não foi de uma hora para outra: no começo, sair da cama todas as manhãs foi uma dificuldade. “Para que mesmo?”, me perguntava. Os dias se arrastavam nublados, mesmo com o sol a pino do lado de fora. E o “lado de fora” era o que menos importava. Vivi aquele momento de egoísmo: minha dor doía como a maior do mundo. É uma fase de se afogar em lágrimas e de conseguir a proeza de sentir ódio e saudade no mesmo minuto. Num domingo que durou umas duas semanas, em um ato simbólico, recolhi todos os objetos que te representavam – de ursinhos de pelúcia aos chinelos esquecidos no banheiro –, enfiei tudo numa caixa e levei para o lixo do prédio. Mas, como é uma fase bipolar, o arrependimento já estava comigo na volta, no elevador. Apertei de novo o segundo subsolo e retornei agarrada na caixa resgatada, imaginando o ... Leia Mais

Até que o excesso de amor nos separe

Já vai? Não, toma mais um café. É cedo. Ainda preciso te contar umas histórias… na verdade, agora não lembro quais são essas histórias. Mas ainda há muito para contar. Afinal, foi dessa forma que Sherazade se livrou da morte e ganhou o amor eterno do rei Shariar, não foi? Hoje entendo o empenho de Sherazade. É difícil encarar o fim. Sempre depois que você sai, eu me recordo de algo que não dividi. E fico esperando a próxima oportunidade. Sim, eu sei. Não teremos outra oportunidade. Por isso acho importante você ficar mais um pouco. Assim eu tenho mais matéria-prima para recarregar minha memória, todas as vezes que precisar recorrer a ela para ter você por perto. Está certo. Combinamos de não dar um tom melodramático.  Na verdade, você combinou. A mim, me coube aceitar. Concordo, claro. Que futuro a gente teria? Só porque nos amamos incondicionalmente, completamos a frase um do outro, rimos juntos a maior parte do tempo, temos princípios similares, os mesmos ídolos, entendemos nossas diferenças e somos nossos maiores fãs? Como dois seres humanos que sentem que o tempo ganha cor quando um está com o outro, que são capazes de conversar por horas intermináveis sobre qualquer ... Leia Mais

Termine uma história de amor para começar outra, mas nunca deixe de ser o protagonista

“Você fugiria comigo hoje?”, perguntou o amante afoito e inconsequente, mais pela frase de efeito do que pela proposta arrebatadora nela contida. “Não”, respondeu a heroína, menos preocupada em dar corda à aventura romântica, digna de sessão da tarde, e mais focada em edificar sonhos. “Antes de ir, tenho que fechar a casa e fazer malas definitivas. Me certificar de não deixar torneiras abertas e janelas sem trinco. Varrer toda a poeira que levei para dentro com meus próprios pés. Regar as plantas, contando que outro jardineiro não demore a encontrá-las. Cobrir móveis, recolher as lembranças que vão me servir e deixar as que já não são mais úteis. E só assim estarei saindo completa e não chegarei aos pedaços na próxima história.” Viver um novo amor requer ter acompanhado toda a novela anterior, com os bons e os maus capítulos, sem pular nenhum. Sair pela porta dos fundos de uma relação vai te obrigar a ingressar na outra igualmente pela entrada de serviço e um amor que se propõe ser verdadeiro merece chegar com tapete vermelho e não pela cozinha. Caso contrário é como tentar trocar o pneu com o carro em movimento ou atravessar a rua sem olhar ... Leia Mais

Sinta & Liga – Carta triste para alguém que não ficou (porque todo mundo tem alguém que não ficou)

Bastava ter segurado minha mão mais forte ou por mais tempo e eu entenderia que não era hora de ir. Você me encontrou na multidão, mas me perdeu quando desviou seus olhos e optou por calar o que sentia, não acreditando que a sua verdade poderia ser a minha verdade também. Eu fui. Voei mundos, mudei de roupa e de sonhos. Mudei de vida e de princípios. Encontrei pessoas e me desencontrei de mim. Mas tantas vezes olhei para traz. Tantas vezes procurei por aquelas mesmas mãos. Ora para me acompanhar, ora para me ajudar a levantar. Mas desisti de te encontrar por caminhos que não eram os seus. De te encarcerar num baú de lembranças porque a arca nunca fechou. E inventei um você só para mim, um que aceitou, sem resistência, morar nos meus pensamentos. Aquele cuja biografia ainda se escrevia em meia dúzia de páginas nas quais eu era a única heroína. Um você que permanecia. E foi assim que senti sua companhia em noites estreladas, com lua sorrindo. Em praias desertas e outras nem tanto. Em ruas inóspitas, quando o medo do escuro trazia a criança assustada que mora em mim para a superfície. Em corredores ... Leia Mais